Photobucket
"Sou um coração batendo no mundo"
Photobucket

Pombinha da Paz

"Por um mundo melhor"
Photobucket
"
Pombinha da Paz"
Se você quiser ajuda-la a dar volta ao mundo leve-a para seu blog também!
Você é oPhotobucket do Meu Cantinho no Japão...
Selinho de Participante....

Selinho de Participante...

♥ Corações ♥ do Meu Cantinho no Japão

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Saudade de Mãe


Coloquei o filtro da arte naquela cena comum, e a luz - que
até então estava escondida -, veio surpreender-me com seu
poder de claridade.

A mulher simples, mãos calejadas de lida rotineira, 
mulher que aprendeu a curar as dores do mundo 
a partir de meus joelhos esfolados de quedas e estrepolias.
Aquela mulher, minha mãe, rosto iluminado pela labareda que tinha origem no fogão de lenha. Trazia consigo o dom de me
devolver a calma, que a vida tantas vezes insistiu em me roubar.
Aquela cena: mulher, fogão de lenha, panela preta escondendo a brancura de um arroz feito na hora. É uma das cenas mais preciosas que meu coração não soube esquecer.

Saudade de mãe é coisa sem jeito, chega quando menos
imaginamos: um cheiro, uma melodia, uma palavra... uma
imagem, e eis que o cordão do tempo, 
nos convida ao retorno da infância.

Como se um fio nos costurasse de novo ao colo da mulher que primeiro nos segurou na vida e agora nos pudesse regenerar.
Saudade de mãe é ponte que nos favorece um retorno a nós mesmos; 
travessia que borda uma identidade muitas vezes esquecida,
perdida na pressa que nos leva.

Saudade de mãe é devolução, é ato que restitui o que se parte;
é luz que sinaliza o local do porto, 
é voz no ouvido a nos acalmar nas madrugadas de desespero e solidão, 
através de uma frase simples: Dorme meu filho! Dorme!

Hoje, nesse dia em que a vida me fez criança de novo, 
neste instante em que esta cena feliz tomou conta de mim,
uma única palavra eu quero dizer: Oh minha mãe, que saudade eu sinto de você!

 Padre Fábio de Melo

Photobucket


quinta-feira, 26 de abril de 2012

Na curva da grande roda


Recebi esse texto via email da amiga Leila do blogger ....Palavras   e compartilho com vocês...
Texto escrito semana após  tsunami de 11 de março de 2011....

Na curva da grande roda

Aquele chuveiro com pouca água me lembrava todo dia que eu precisava trocá-lo. Pena que assim que eu saia do banho eu me esquecia. E aí, só à noite, na hora do outro banho, eu me lembrava novamente. Eu precisava trocar aquele chuveiro. Puxa, eu precisava trocar tanta coisa naquela época.
Trocar o meu cabeleireiro que sempre cortava o meu cabelo daquele mesmo jeito medíocre só porque um dia deu certo. Trocar de calçada quando estivesse voltando do trabalho porque eu nunca gostei da cara daquele sujeito da loja da esquina. E ainda tinha aquela minha jaqueta manchada que eu usava há uns 10 anos e que precisava muito ser trocada.
Acabei não trocando nada disso. A vida me trocou de lugar e em segundos tudo aquilo que ficou tanto tempo na espera para ser trocado, mais aquilo que acabara de chegar, que acabara de acontecer, foi trocado. Foi abruptamente surpreendido por uma troca gigantesca. 
Assim sem nenhum aviso, nem uma mensagem no celular, nem um tempo para eu me despedir da minha boa e velha vida, tudo foi trocado. E eu fiquei aqui, sem saber se avisava para mim mesma ou se pedia o telefone de alguém. Enquanto recebia as visitas de tantos, enquanto sentia as pessoas que me tocavam, me apertavam e me desejavam força, meu cérebro tentava entender que capítulo era aquele tão desconexo da minha história. Nada batia, nada encaixava. Não era para eu estar ali, aquele lugar não era meu. 
Troquei de casa, troquei de lugar com alguém que eu não reconheço, mas este alguém veste a minha pele e pensa com o meu cérebro. Onde foi parar todo mundo? Para onde todo mundo foi? Minha família, meu cachorro e meus discos agora guardados no pen drive do meu chaveiro e este corpo que ainda dizem  que é meu tentando juntar os seus cacos. 
Por um instante me lembrei do gorro vermelho do meu filho voando, do balanço que tínhamos no fundo do quintal e da minha vizinha que usava um casaco de lã.
Talvez seja difícil para você entender porque é que eu chamo de trocar e não de perder, já que nada vai voltar a ser como antes. Eu explico. Hoje visto jaquetas de alguém que ficou para sempre naquele lugar e habito um lar feito com o que restou daquele instante. Tenho dois filhos que assim como eu sobraram e uso um chuveiro que foi de alguém que nem imagino. Tudo foi trocado. Meu filho, meu cachorro e minha jaqueta se foram para algum lugar que desconheço ainda. Enquanto o mundo girava, fui jogada nesta curva em que me encontro agora. Troquei completamente de lugar.
Já não me interessa mais onde foi parar o meu balanço e meu novo filho balança nos meus braços. Filhos que eu não pari, casacos que eu não escolhi, trocas que a vida me deu. Talvez para que eu entenda que nada, absolutamente  nada do que me rodeia é meu. 

Leila Rodrigues - para uma gente que eu nunca vi, mas que senti.


domingo, 22 de abril de 2012

Viver...

Viver

Viver é mais que respirar,
É sentir o coração batendo no peito...
É saber aproveitar cada minuto
da vida como um milagre
Que não poderá se repetir...

Viver...
É vibrar com uma manhã ensolarada,
Deixar levar-se pelo vento e ir além...
Muito além da imaginação...

Viver...
É sentir a vida como escultura moldada
Por artista famoso...
É tornar-se ator por conta própria
E encenar o que quiser...

Viver...
É aventurar-se, experimentar coisas proibidas
É englobar-se numa multidão
E mesmo assim se destacar...

Viver... 
É chorar de alegria e de tristeza...
Sentir saudades, se emocionar...
É fazer da vida uma eterna primavera
E nesta Primavera, se desabrochar!
( A.D)



terça-feira, 10 de abril de 2012

Efêmero - Flores de cerejeira ( Sakura)

Photobucket

Se pudéssemos ter consciência do quanto nossa vida é efêmera,
talvez pensássemos duas vezes antes de jogar fora
as oportunidades que temos de ser e de fazer os outros felizes.
Muitas flores são colhidas cedo demais.
Algumas, mesmo ainda em botão.
Há sementes que nunca brotam e há aquelas flores que vivem a vida inteira
 até que, pétala por pétala, tranqüilas, vividas,
se entregam ao vento.
Photobucket
Mas a gente não sabe adivinhar.
A gente não sabe por quanto tempo estará enfeitando esse Éden e
tampouco aquelas flores que foram plantadas ao nosso redor.
E descuidamos. Cuidamos pouco.
De nós, dos outros.
Nos entristecemos por coisas pequenas e perdemos minutos
e horas preciosos.
Perdemos dias, às vezes anos.
Nos calamos quando deveríamos falar,
falamos demais quando deveríamos ficar em silêncio.
Não damos o abraço que tanto nossa alma pede porque
algo em nós impede essa aproximação.
Não damos um beijo carinhoso "porque não
estamos acostumados com isso" e não dizemos que gostamos
porque achamos que o outro sabe automaticamente o que sentimos.
E passa a noite e chega o dia, o sol nasce e
adormece e continuamos os mesmos,
fechados em nós.
Reclamamos do que não temos, ou achamos
que não temos o suficiente.
Cobramos. Dos outros.
Da vida. De nós mesmos.
Nos consumimos.
Costumamos comparar nossas vidas com
as daqueles que possuem mais que a gente.
E se experimentássemos nos comparar
com aqueles que possuem menos?
Isso faria uma grande diferença!
E o tempo passa…
Passamos pela vida, não vivemos.
Sobrevivemos,
 porque não sabemos fazer outra coisa.
 Até que, inesperadamente, acordamos e olhamos pra trás.
E então nos perguntamos: e agora?
Agora, hoje, ainda é tempo de reconstruir alguma coisa,
de dar o abraço amigo, de dizer uma palavra carinhosa,
de agradecer pelo que temos.
Nunca se é velho demais ou jovem demais
para amar, dizer uma palavra gentil ou
fazer um gesto carinhoso.
Não olhe para trás. O que passou, passou.
O que perdemos, perdemos.
Olhe para frente!
Ainda é tempo de apreciar as flores que
estão inteiras ao nosso redor.
Ainda é tempo de voltar-se para Deus e
agradecer pela vida, que mesmo efêmera,
ainda está em nós. 


 (Letícia Thompson)

Photobucket
Como as flores de cerejeiras( sakura) duram cerca de duas semanas nada melhor do que essa flor  para ilustrar esse texto " Efêmero"..
























domingo, 1 de abril de 2012

Os símbolos da Páscoa e seus significados.


Ovos de Páscoa
O ovo simboliza o nascimento, surgimento da vida
e a origem do mundo.Os chineses tinham o costume
de presentear os amigos com ovos coloridos durante
a festa da Primavera entre março e abril.
Os ovos de galinha foram sendo trocados pelos
de madeira, prata, ouro, até chegarem aos de chocolate.


Coelho
O coelho era simbolo de fertilidade no antigo Egito.
Como esse animal se reproduz rapidamente e gera muitos filhotes,
representa a fecundidade e a reprodução constante da vida
e também a igreja, que também pode ter novos discípulos sempre.
Cordeiro

É um simbolo pascal na Europa Central e Oriental.
Os cristão costumam dizer que Jesus foi o cordeiro de Deus.
Muitas pessoas servem esse animal como parte do banquete
de Páscoa. Em muitas casas, um bolo em forma de cordeiro
costuma decorar as mesas.
Colomba Pascal

O  bolo em forma de "pomba da paz" significa a vinda
do Espirito Santo. Diz a lenda que a tradição surgiu na vila
de Pavia ( norte da Itália), onde um confeiteiro teria presenteado
o rei Lombardo Albuíno com a guloseima. O soberano por sua vez.
teria poupado a cidade de uma cruel invasão graças ao agrado .


Sino

O sino é um simbolo da Páscoa . No domingo de páscoa,
tocando festivo, os sinos anunciam com alegria a celebração
da ressurreição de Cristo.
Cruz da Ressurreição

Tendo  Cristo sido crucificado e, depois, ressuscitado,
a cruz é um simbolo do sofrimento e da morte, mas também
do renascimento. Ela não é só o simbolo  da Páscoa,
mas do cristianismo e da fé católica.
Como a Páscoa é ressurreição, é renascimento, nada melhor do que coelhos, para simbolizar a fertilidade!

Círio Pascal
É uma grande vela  que se acende na igreja, no sábado de aleluia.
Significa que " Cristo é a luz dos povos!.
É uma vela onde estão inscritas as letras gregas  alfa e ômega,
simbolizando que Cristo é principio, fim  e ao mesmo tempo luz.

Girassol
O girassol,  como simbolo da páscoa, representa a busca da luz
que é Cristo e,assim como ele segue o astro rei,
os cristão buscam em Cristo o caminho, a verdade e a vida.
Pão e Vinho

A instituição da Eucaristia foi feita por Jesus na última ceia,
quando ofereceu o pão e o vinho aos seus discípulos dizendo:
"Tomai e comei, este é o meu corpo...Este é o meu sangue..."


O que posso desejar para esse dia?

Que as verdadeiras amizades continuem eternas
e tenham sempre um lugar especial em nossos corações.

Que as lágrimas sejam poucas, e logo superadas.

Que as alegrias estejam sempre presentes
e sejam festejadas por todos.

Que o carinho esteja presente em um simples olá,
ou em qualquer outra frase, ou digitada rapidamente.

Que os corações estejam sempre abertos para novas amizades, novos amores, novas conquistas.

Que Deus, esteja sempre com sua mão estendida,
apontando o caminho correto.

Que as coisas pequenas como a inveja ou o desamor,
sejam retiradas de nossa vida.

Que aquele que necessite ajuda encontre sempre em nós uma animadora palavra amiga.

Que a verdade sempre esteja acima de tudo.

Que o perdão e a compreensão superem as amarguras e as desavenças.

Que este nosso pequeno mundo virtual seja cada vez mais humano.

Que tudo o que sonhamos se transforme em realidade.

Que o Amor pelo próximo seja nossa meta absoluta.

Que nossa jornada de hoje esteja repleta de flores.

Feliz Páscoa



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...